Doug Leonardo . Drafts: Antes eram apenas as últimas folhas do caderno. Agora o caderno só tem últimas folhas.Me siga no Twitter!Ir para a home do Blog

sexta-feira, abril 17, 2009

Grandes obras de arte em detalhes incríveis no Google Earth

Bom, para muitos talvez não seja uma grande novidade mas confesso que não tinha visto ainda o Museu do Prado no Google Earth.

É realmente impressionante!
O Museu do Prado foi o primeiro a iniciar a exposição de acervo em alta resolução no Google Earth.
Baixando o software em: http://earth.google.com.br/download-earth.html é só instalar em poucos cliques e depois pesquisar por Museu do Prado.
Lá você vai encontrar uma amostra de 14 grandes obras. Clicando em cada uma delas é possível navegar pela pintura, vendo cada detalhe, pincelada e textura. Show!

Museu do Prado no Google Earth

Pra ter uma idéia do que rola, da uma olhada nesses detalhes da obra do Goya, por exemplo:

Museu do Prado no Google Earth

Museu do Prado no Google Earth

Museu do Prado no Google Earth

Museu do Prado no Google Earth

E as Meninas do Velazquez:

Museu do Prado no Google Earth

Museu do Prado no Google Earth

Museu do Prado no Google Earth

Museu do Prado no Google Earth

Museu do Prado no Google Earth

Demais né?

Quer saber como tudo isso foi feito? Da uma olhada nesse vídeo:

terça-feira, abril 14, 2009

O lado sensível de um monstro

Você sabia que Adolf Hitler queria ser artista quando era jovem?

Pois é! Li hoje no jornal britânico Daily Mail Online que algumas de suas pinturas, desaparecidas há décadas, serão leiloadas pelo proprietário atual, ainda não identificado. (Notícia do dia 25 de março).

Segundo o jornal, as pinturas foram encontradas pelo Major Willie J McKenna em Essen, na Alemanha, em 1945 e vendidas diretamente para a pessoa que irá leiloa-las no próximo dia 23 de abril.

Hitler, por volta dos seus 21 anos, foi rejeitado por duas vezes pela Academia de Belas Artes de Viena em 1907 e 1908. Segundo a Academia, Hitler não era um artista suficientemente talentoso para entrar no curso.

Será que foi isso que revoltou o cara? Será que os examinadores eram judeus?

Abaixo seguem as pinturas.


Detalhe do auto-retrato de Adolf Hitler, com as iniciais A.H. próximas da sua representação.


Visão total da pintura, assinada por Hitler.







Na matéria do Mail Online, Richard Westwood, especialista em leilões de documentos históricos, disse: "It's curious to say the least how an artist, whose interests at this stage of his life should be in such peaceful and bucolic subjects, could turn into the monster he became in later life." E realmente...

quinta-feira, abril 09, 2009

"Palavras ao vento"

O post anterior me lembrou um texto que gosto bastante que ouvi na voz do Lazaro Ramos e que vocês já devem conhecer bem: o "Palavras ao Vento".
Ok é véio, mas como eu gosto do texto, aí vai ele.

Ah, e não, eu não vou postar a letra da música do alfabeto da Xuxa no próximo post, ok? Parei com os alfabetos por enquanto... hehe


A primeira letra do alfabeto é também a primeira letra da palavra amor e se acha importantíssima por isso!

Com A se escreve arrependimento que é uma inútil vontade de pedir ao tempo para voltar atrás e com A se dá o tipo de tchau mais triste que existe: adeus... Ah, é com A que se faz abracadabra, palavra que se diz capaz de transformar sapo em príncipe e vice-versa...

Com B se diz belo - que é tudo que faz os olhos pensarem ser coração; e se dá a bênção, um sim que pretende dar sorte.

Com C, calendário, que é onde moram os dias e o carnaval, esta oportunidade praticamente obrigatória de ser feliz com data marcada. Civilizado é quem já aprendeu a cantar ´parabéns pra você` e sabe o que é contrato: "você isso, eu aquilo, com
assinatura embaixo".

Com D , se chega à dedução, o caminho entre o "se" e o "então"... Com D começa defeito, que é cada pedacinho que falta para se chegar à perfeição e se pede desculpa, uma palavra que pretende ser beijo.

E tem o E de efêmero, quando o eterno passa logo; de escuridão, que é o resto da noite, se alguém recortar as estrelas; e emoção, um tango que ainda não foi feito. E tem também eba!, uma forma de agradecimento muito utilizada por quem ganhou um pirulito, por exemplo...

F é para fantasia, qualquer tipo de "já pensou se fosse assim?"; fábula, uma história que poderia ter acontecido de verdade, se a verdade fosse um pouco mais maluca; e , que é toda certeza que dispensa provas.

A sétima letra do alfabeto é G, que fica irritadíssima quando a confundem com o J. G, de grade, que serve para prender todo mundo - uns dentro, outros fora; G de goleiro, alguém em quem se pode botar a culpa do gol; G de gente: carne, osso, alma e
sentimento, tudo isso ao mesmo tempo.

Depois vem o H de história: quando todas as palavras do dicionário ficam à disposição de quem quiser contar qualquer coisa que tenha acontecido ou sido inventada.

O I de idade, aquilo que você tem certeza que vai ganhar de aniversário, queira ou não queira.

J de janela, por onde entra tudo que é lá fora e de jasmim, que tem a sorte de ser flor e ainda tem a graça de se chamar assim.

L de , onde a gente fica pensando se está melhor ou pior do que aqui; de lágrima, sumo que sai pelos olhos quando se espreme o coração, e de loucura, coisa que quem não tem só pode ser completamente louco.

M de madrugada, quando vivem os sonhos...

N de noiva, moça que geralmente usa branco por fora e vermelho por dentro.

O de óbvio, não precisa explicar...

P de pecado, algo que os homens inventaram e então inventaram que foi Deus que inventou.

Q, tudo que tem um não sei quê de não sei quê.

E R, de rebolar, o que se tem que fazer pra chegar lá.

S é de sagrado, tudo o que combina com uma cantata de Bach; de segredo, aquilo que você está louco pra contar; de sexo: quando o beijo é maior que a boca.

T é de talvez, resposta pior que ´não`, uma vez que ainda deixa, meio bamba, uma esperança... de tanto, um muito que até ficou tonto... de testemunha: quem por sorte ou por azar, não estava em outro lugar.

U de ui, um ài" que ainda é arrepio; de último, que anuncia o começo de outra coisa; e de único: tudo que, pela facilidade de virar nenhum, pede cuidado.

Vem o V, de vazio, um termo injusto com a palavra nada; de volúvel, uma pessoa que ora quer o que quer, ora quer o que querem que ela queira.

E chegamos ao X, uma incógnita... X de xingamento, que é uma palavra ou frase destinada a acabar com a alegria de alguém; e de , única palavra do dicionário das aves traduzida para o português.

Z é a última letra do alfabeto, que alcançou a glória quando foi usada pelo Zorro... Z de zaga, algo que serve para o goleiro não se sentir o único culpado; de zebra, quando você esperava liso e veio listrado; e de zíper, fecho que precisa de um bom motivo pra ser aberto; e de zureta, que é como fica a cabeça da gente ao final de um dicionário inteiro.




:)

quarta-feira, abril 08, 2009

Abecedário de Millôr Fernandes

Vi esse texto pela primeira vez na revista Tupigrafia.
Aliás, no site deles tem o link pro Flickr da revista. Vale a pena dar uma olhada: http://www.flickr.com/photos/tupigrafia/

Gostei bastante e por isso dei a minha interpretação gráfica pra ele, apenas como estudo mesmo.
Espero que gostem.
Coloco abaixo da imagem o texto digitado para quem quiser...



Abecedário (Millôr Fernandes)

O A é uma letra com sótão.
Chove sempre um pouco sobre o à craseado.
O B é um l que se apaixonou pelo 3.
O b minúsculo é uma letra grávida.
Ao c só lhe resta uma saída.
o ç cedilha, esse jamais tira a gravata.
D é um berimbau bíblico.
O e minúsculo é uma letra esteatopígia (esteatopígia, ensino aos mais atrasadinhos, é uma pessoa que tem certa parte do corpo que fica atrás e embaixo, muito feia).
O E ri-se eternamente das outras letras.
O F, com seu chapéu desabado sobre os olhos, é um gângster à espera de oportunidade.
O f minúsculo é um poste antigo.
A pontinha do G é que lhe dá esse ar desdenhoso.
O g minúsculo é uma serpente de faquir.
O H é uma letra duplex. A parte de cima é muda. Serve também como escada para as outras letras galgarem sentido.
O h minúsculo é um dinossauro.
O I maiúsculo é guarda, em seu porte de letra, um pouco de número I romano.
O i minúsculo é um bilboquê.
O J, com seu gancho de pirata, rouba às vezes o lugar do g.
O j minúsculo é uma foca brincando com sua bolinha.
Vê-se nitidamente: o K é uma letra inacabada. Por enquanto só tem andaimes. Parece que vão fazer um R.
Junto com o k minúsculo o K maiúsculo treina passo-a-passo.
O L maiúsculo parece um l que extraíram com raiz e tudo.
Mas o l minúsculo não consegue disfarçar que é um número 1 espionando o alfabeto.
O M maiúsculo é um gráfico de uma firma instável.
O m minúsculo é uma cadeia de montanhas.
O N é um M perneta.
No n minúsculo pode-se jogar críquete com a bolinha do o.
O O maiúsculo é um buraquinho no alfabeto.
O p é um d plantando bananeira.
O Q maiúsculo anda sempre com o laço do sapato solto.
O q minúsculo é um p se olhando de costas no espelho.
O R ficou assim de tanto praticar halterofilismo.
Sente-se que o s é um cifrão fracassado.
O S maiúsculo é um cisne orgulhoso.
Na balança do T se faz jusTiça.
O U é a ferradura do alfabeto, protegendo o galope das idéias.
O u minúsculo é um n com as patinhas pro ar.
O v é uma ponta de lança.
O x é uma encruzilhada.
O Y é a taça onde bebem as outras letras. Desapareceu do alfabeto porque se entregou covardemente, de braços para cima.
O W são vês siameses.
O Z é um caminho mais curto entre dois bares.
O z minúsculo é um s cubista.
 

.Drafts: Blog do designer Doug Leonardo.

Visite: www.dougleonardo.com | Twitter.com/dougleonardo

Layout originalmente criado por Douglas Bowman e personalizado por Doug Leonardo.

BlogBlogs.Com.Br