Doug Leonardo . Drafts: Antes eram apenas as últimas folhas do caderno. Agora o caderno só tem últimas folhas.Me siga no Twitter!Ir para a home do Blog

sexta-feira, dezembro 18, 2009

Freedom Fighter: videoclip experimental (now authorized!)

Ok, agora é oficial!
Ok, now it's official!

Este é o meu trabalho de video experimental para a faculdade, produzido em novembro de 2009.
This is my experimental issue for college, produced in November'09.

O projeto finalizado utilizou a música "Freedom Fighter", da banda Bowery Electric, composta por Lawrence Chandler e Martha Schwendener. Logo, era muito importante que eu tivesse a autorização da banda para publicar o video por aqui.
The final project was made using the song "Freedom Fighter", by Bowery Electric, the band formed by Lawrence Chandler and Martha Schwendener. So, it was very important that I had the authorization to publish the video.

Algumas tentativas de contato depois, consegui encontrar o Lawrence no MySpace, que gentilmente me garantiu a licença para publicar o vídeo:
A few attempts later, I've met Lawrence at MySpace, who kindly granted the permission to publish the video:

"Hello Doug, Thank you for asking, permission granted. Lovely work! All best, Lawrence".

Thank you, Lawrence!



Foram 1572 fotos tiradas em intervalo de aproximadamente 1 segundo.
Câmera: Finepix 5.0 Mp em modo de disparo automático
Trilha: "Freedom Fighter" - Bowery Electric

Agradecimentos especiais (Special thanks):
Profª. Drª. Ariane Daniela Cole
• Bianca Muto
Johnny Will
Lawrence Chandler

Videoclip original da música "Freedom Fighter", da banda Bowery Electric:
Original videoclip of the song "Freedom Fighter", by Bowery Electric:



PS.: My English is not that good, so if you find any mistakes, be cool and suggest the correction leaving your comments, or simply accept my apologies. :)

sábado, novembro 28, 2009

Livro Pop-up de fobias

Você tem medo de elevador, de avião, de altura, de dentista ou de falar em público?
Dá uma olhada nesse livro. Ele é feito de composições gráficas utilizando a técnica de pop-up, retratando cada uma dessas fobias.





Para quem não conhece, pop-up (no design de livros) é aquela técnica de criar elementos que saltam das páginas ao abrí-las, gerando objetos tridimensionais e efeitos de profundidade.

Vê só o video que mostra o livro todo. Muito bem feito!

The Pop-up Book of Phobias from donvanone on Vimeo.



Criado por Gary Greenberg, ilustrado por Balvis Rubess e a montagem dos pop-ups foi feita por Matthew Reinhardt.

À venda na Amazon.com.

sábado, novembro 07, 2009

Respirando design por uma semana: Brazil Design Week 2009

Semana passada vivi literalmente uma semana de design, ouvindo, vendo e participando de discussões, palestras, exposições e aulas +- umas 12 horas por dia. Isto porque, além das aulas da facu, participei dos workshops do Brazil Design Week 2009, o primeiro a ser realizado em São Paulo. A experiência foi bastante enriquecedora e por isso resolvi compartilhar com vocês pelo menos um pouco do que foi essa maratona para mim.

Os workshops realizados, em sua grande maioria, contaram com a presença de grandes profissionais, diretores ou criativos de empresas que pensam e trabalham o design brasileiro. Além disso, alguns profissionais de empresas gringas falaram sobre cases e metodologias de suas empresas.

Para facilitar, aí vai um índice dos workshops com links diretos para minhas observações sobre alguns deles:

Tátil Design / Fred Gelli
Crama Design / Ricardo Leite
Lincoln Seragini
• Pande Design Solutions / Laís Carvalho
Conran Studio / Sebastian Conran
Keenwork / Luis Castellari
• 100% Design / Lilian Chiofolo
Sart Dreamaker / Gian Franco Rocchiccioli
• PDV Design / Euler Alves Brandão
Gad'Brivia / Ana Paola Loeblein
• BMW Design Works / Holger Hampf
Oz Design / Ronald Kapaz
Narita Design / Mario Narita
Haus Design / Gisela Schulzinger
Red Bandana / Karen Cesar
Live Ad / Mauro Silva
• Team Creatif / Silvia Rotta
Ana Couto Design / Ana Couto
• Marcelo Lopes Design / Marcelo Lopes
• Bold / Billy Bacon
• Brander / Milton Cipis
• 32 Bits / Danilo Medeiros



Tátil Design
Fred Gelli
tatil.com.br

Sobre o tema Branding / Construção de Marca, Fred falou inicialmente sobre a relação do design com a observação da natureza, entrando em questões sobre o chamado ecodesign, que segundo ele, futuramente não terá distinção de outros projetos de design. Tudo que o design irá produzir deverá, inevitavelmente, pensar em parâmetros sustentáveis.

Um comparativo muito bacana mostrou como iniciativas "green" podem ser extramamente positivas e realmente ligadas a uma causa, ou simplesmente uma ação de marketing puramente oportunista.

Fred afirma que é preciso evitar o ecochatismo e que as coisas não precisam ter sempre uma cara verde e feia para serem ecologicamente corretas.

Um case muito bacana foi o exemplo da Nike:



À esquerda o Nike Air Hobbit (como foi batizado). Nada de Nike, feio demais, um fracasso de vendas. À direita o Nike Trash Talk, feito com materiais reaproveitados de outros tênis. Cara de Nike, atitude de Nike, sucesso de vendas.

Um exemplo inspirador de relação design/natureza foi a referência à forma que a natureza embala suas criações.

Ainda neste papo sobre natureza, fez referência ao site www.asknature.org, que trata de como a natureza se vira para resolver seus procesos.

Fred falou também sobre a relação inseparável design e branding e o papel fundamental da interdisciplinaridade no design, profissão que tende a liderar processos de criação coletiva/colaborativa.

Por último, Fred falou sobre o conceito de Branding 3.0, se referindo a um novo posicionamento das empresas no sentido de atender a necessidade das pessoas que hoje, mais que consumidores, devem ser vistos como desfrutadores, que querem se relacionar com as marcas. Este novo pensamento requer destas um posicionamento com causas e propósitos claramente enraizados em seus produtos e serviços.
Mais informações sobre isto podem ser encontradas no Branding 3.0

Uma apresentação excelente e inspiradora. A Tátil ganhou mais um "fã". :)



Crama Design
Ricardo Leite
crama.com.br

Num tom muito bem humorado, o diretor da Crama apresentou trabalhos do portfolio recente da empresa e também do início de sua carreira e contou um pouco de sua metodologia.

Destaque para uma fala interessante: o participação do acaso, do acidente, do imprevisto no processo criativo. Ricardo falou sobre a criação de uma das capas de disco do Lulu Santos, em que um resultado fotográfico inesperado rendeu a sacada do projeto.



Seragini
Lincoln Seragini
seragini.com.br

Todos que estavam por lá diziam: este é um dos gurus do design.
Seragini se auto-intitula o animador do design. E a palestra foi realmente animadora.

Tratou da questão do pensamento em design, uma tendência na forma com que as empresas tratarão seus projetos. Este pensamento, segundo Seragini, é independente de profissão, ou seja, para pensar como um designer não necessariamente você precisa ser um designer.

Seragini afirma que o design deve ser entendido como uma função integradora, que influencia e direciona posicionamento nos negócios e sugeriu dois livros que estão para ser lançados:
- "The designful company" de Marty Meier;
- "Do you matter? How great design will make people love your company" (ufa!) Não lembro o nome do autor, googla aí! :D

A apresentação defendeu ainda que uma empresa focada no design, tido por ele como a nova alma da empresa, projeta com base no olhar do consumidor, e que uma marca deve ser visionária, possuir uma gestão sustentável e deve aprender e se permitir inovar.

Seragini mostrou cases muito bacanas que exemplificam como isto pode representar um novo posicionamento: Brinquedos Bandeirantes e a decisão por projetar e manter as fabricas no Brasil (em vez de aderir a importação da China); Marheje (caso parecido) e Lilica Ripilica.



Conran Design
Sebastian Conran
sebastianconran.com

Para Sebastian, Design = acões de planejamento ou plano de ações unindo o emocional (artes) + racional (engenharia) + negócios (mkt + serviços).

O designer citou aspectos que definem o bom design, como inovação, usabilidade, estética, facilidade de entendimento, originalidade, poder inspirador, ser desejável.

A jornada da inovação

Percepção de valor de marca:
(a barra representa "dividido por...")

Valor = desejabilidade* / Custo
* tradução literal

Valor = Marca(1) + Design(2) + Qualidade(3) / Custo(4)

(1) Marca: reputação, experiência, mercado, posicionamento
(2) Design: Emocional (personalidade, tendências, sentidos, narrativa) + Racional (função, performance, usabilidade, uso, inovação)
(3) Qualidade: material, integridade, ingenuidade, dependência do serviço
(4) Custo: Preço, sustentabilidade, conveniencia, ética




Keenwork
Luiz Castellari
keenwork.com.br

Luiz Castellari tratou da questão da construção de marcas brasileiras globais e do problema da identidade do design brasileiro, a qual, segundo ele, é baseada em estereótipos. Nesta construção, o sucesso e a reputação devem ser construídos, inicialmente, no país de origem, defende.

Os desafios deste cenário seriam:
- Vencer os estereótipos;
- Vencer a brutal vantagem dos concorrentes;
- Tomar cuidado para não cair em estereótipos;

O designer levantou ainda 10 questões fundamentais no que se refere ao design de marcas globais:
1. Visão de longo prazo;
2. Priorizar mercados;
3. Conhecer e respeitar valores culturais regionais;
4. Pensar globalmente e agir localmente (se adaptar as condições regionais);
5. Criar uma alma para a marca e emocionar;
6. Consolidar (Visão dos funcionários com relação à empresa);
7. Construir uma reputação sustentável;
8. Inovar (diferenciação no design);
9. Proteger legalmente a marca;
10. Nunca parar.



Sart Dreamaker
Gian Franco Rocchiccioli (@gfranco123)
sart.com.br

Esta foi, sem dúvida, uma das apresentações mais interessantes e enriquecedoras.

Gian Franco citou a metodologia criada e utilizada pela Sart chamada Brand Touch, levantando questões como:

Por que as marcas são tão faladas hj em dia?
1. muitas opções e pouco tempo para decisão
2. qualidades muito similares dos produtos > marca com função de separação / diferenciação;
3. Pessoas > baseiam suas escolhas naquilo que confia / conhece.

• Decisão de compra depende de um laço de confiança. > Valor > Quanto?

O que é valor?
“Valor é algo que levamos em consideração quando estamos diante de uma situação que nos exige uma tomada de decisão.” Simon Blackburn

Gian Franco citou ainda a importância de se entender a natureza humana, afirmando que esta é a matéria prima da marca e que é preciso entender o processo de tomada de decisão das pessoas.

Citou ainda estudos do psicólogo Herman Ebbinghaus a respeito da memória humana:
• Curva do esquecimento: grafico que mostra como se comporta a memoria ao longo do tempo, desde a percepção.
• Lembrança específica (+aspectos racionais) X lembrança geral (+ aspectos emocionais)
• Quanto mais qualificado o momento de registro, melhor será a capacidade de resgate da informação
•Quanto mais sentidos estimulados, melhor será a capacidadde de resgate.

E ainda alguns conceitos da chamada Brain Theory:

O cerebro fica o tempo todo tentando prever o que vai acontecer.
Memoria de curto prazo - horas (processamento de informações) X Memória de longo prazo – meses e anos.

M = RMn – C

Sendo:
- M: Marca
- RMn: Registro mental elevado a n (qualidade do registro) : atencao, relevancia, significado, confiança
- C: Concorrência (tudo o que compete com a marca)

- Uma marca desconhecida precisa que a atenção sobre ela seja trabalhada;
- Qnd uma marca é reconhecida, precisa ser trabalhada a relevância;
- Se uma marca é recordada, é preciso trabalhar o significado dessa marca;
- Qnd ela já é adimirada, é importante se trabalhar a confiança.

Lembrou ainda do aspecto irracional do ser humano, bastante presente em escolhas de consumo e do fenômeno Imprinting, citando os estudos realizados no MIT, que provaram a existência de uma “ancora” na tomada de decisão de escolhas e critérios de preços.

Outros pontos muito bacanas:

Qualidade percebida
Raramente fazemos escolhas absolutas. Normalmente elas são feitas em meio a um contexto.

Relatividade x Realidade

Influência da relatividade na tomada de decisão.

Efeito chamariz: tbm influencia tomada de decisão.
Em uma concorrência A e B, cria-se um produto A-, o qual acaba incentivando a escolha pelo produto A.

O cérebro humano baseia-se em focos de atenção que se relacionam com áreas de interesse.

O emocional decide.
O racional explica.



Gad'Brivia
Ana Paola Loeblein
http://www.gadbrivia.com.br/

De maneira um tanto superficial mas utilizando-se de excelentes cases da agência, a apresentação mostrou algumas informações relacionadas ao branding digital, como:

Cenário atual:
Era da informação
Novo consumidor
Tecnologia digital em todas as áreas
Nova forma de comunicação: consumidor > consumidor : relacionamento : colaboração

Internet: participativa, integração texto img vids;

Redes sociais: conteudo gerado pelo usuario, software livre, realidade aumentada, interface por voz, web semântica (como tratar o grande volume de informação gerado na rede).

Case: Tam Viagens – sistema interno
Case: aplicativo Docile: chiclete Zoah – Aplicativo no Orkut.
Case: Ramarin: presença digital, redes sociais, website.



Oz Design
Ronald Kapaz
http://www.ozdesign.com.br/

Se não a mais, uma das mais inspiradoras apresentações dentre os workshops, com o tema (que também é o slogan da Oz): "Deixe sua marca."

Algumas das idéias abordadas:

Cenario atual: Civilização dos meios sem fim, sem um ideal soberano.
Livingston, 1945

Importância de se levar o cliente a pensar: “que marca vc quer deixar no mundo?” ao invés de simplesmente pensar em crescer, multiplicar e dar lucro. Ronald citou uma frase interessante: "A idéia de crescimento infinito em um planeta finito só pode ser fruto da cabeça de um débil mental ou de um economista."

Conceito de inovação:
Para um arqueologo baseia-se na descoberta do passado.
Não esta apenas ligada ao futuro >> concepção da profissão designer.

A marca de um designer
Qual é a real função do designer?
Raiz humanista não somente técnica. Deve ser lembrada como uma ferramenta humanista.
O design gráfico é a linguagem do homem urbano, faz parte de qualquer tarefa do dia-a-dia.

Identidade = necessidade
relação com a biologia. Identidade = sobrevivencia: disputa por alimento/pela femea.

“Decifra-te ou te devoro”. É preciso se diferenciar.

Marca é uma vontade de perenidade. Relacionada a atitude, excelencia, se refletir, pertencer a algo, marca de tempo, de um tempo específico, de um espaço ou território, marca de nascença, de autoria. E marcas de consumo. De fé, de garantia, de autenticidade, de identificação, de credibilidade, de globalização, marca de origem, marcas de cultura.

As vezes a força de uma marca pode estar num "defeito". (ex. pinta da Cindy Crawford)

Brand ou marca é um construtor simbolico para representar uma empresa ou produto.

O designer não desenha ou cria a identidade do cliente. O cliente já a possui.
O designer ajuda o cliente a encontrar e construir a sua propria identidade.

Intuição faz parte do processo criativo, é o pensamento imediato, sem mediação. Em paralelo a logica.

“A pergunta muitas vezes esconde 80% da resposta.”
(Buckminster Fuller)

é preciso desenhar a pergunta antes de desenhar a resposta.
Funil: análise > reflexão > síntese

O que dizer >> Como dizer

“Eu não sou uma coisa, um substantivo. Eu sou um verbo, um processo evolucionario”

Ronald defende o conceito de designer filósofo (no sentido de “amigo do conhecimento, da sabedoria, da compreensão de mundo e das pessoas”).

“A vida não é um problema a ser superado, mas uma realidade a ser experimentada.”

“ A arte é feita para perturbar. A ciencia tranquiliza.” (Georges Braque)

Inspiração Blaise Pascal

“The best things in life aren't things.”



Narita Design
Mario Narita
http://www.naritadesign.com.br/

Mario Narita apresentou a metodologia utilizada para a comunicação Visual para crianças e tweens, abordando os seguintes conceitos e informações:

• Aumento da participação das crianças e adolescentes na tomada de decisão de compra.

• Com relação à faixas etárias:
0-2: descoberta do mundo, escolhas guiadas: O visual é direcionado para as mães;
3-5: o mundo gira ao seu redor, brincadeiras solitárias: cores vivas;
6-8: separação de meninos e meninas: Azul / Rosa; Fogo e carros / temas florais; nesta fase é preciso diferenciar produtos para meninas e meninos;
9: renúncia da infancia;
9-12: aspiração pelo mundo dos adolescentes; bandas, idolos, arte da rua, visual agressivo; preto, cores que fogem da paleta infantil;

Outros fatores importantes:
- Pesquisa;
- Criar identificação;
- Pais trabalham fora, uso da internet, criança mais mandona, erotização precoce, rapido amadurecimento.

Quanto aos personagens próprios ou licenciados em embalagens e produtos:

Até 7 anos criancas não lembram de marcas e produtos, daí a importância de se utilizar de personagens licenciados, que possuem como vantagens a mídia e o retorno imediato, e como desvatagens

desvantagem: não constroi a marca, diferentes produtos de diferentes marcas com personagens iguais

Personagens proprios:
são únicos;
Desvantagens: alto investimento;

Case M&Ms
Personalidade marcante, cria um mundo proprio com amigos;
Possibilidade de criacao de outros produtos

Quanto à percepção humana:
cores > formas > numeros > palavras (ordem da percepção)

A convergência para as mesmas fontes de informação tbm padroniza os desejos.
- inovação
- case: realidade aumentada stand lego



Haus Design
Gisela Schulzinger
http://www.hausdesign.com.br/

A apresentação de Gisela Schulzinger levantou alguns cases interessantes como a identidade da Unilever, os produtos da Coza, a Red Cross Store, a Apple Store, o Google e uma campanha da WWF, ainda dentro da questão da construção de marca dentro do cenário do mercado atual, baseando-se principalmente na premiação de Cannes deste ano.

Gisela defende que as marcas hoje estão relacionadas à uma conexão emocional e que as pessoas buscam na marca novas propostas, solucoes, experiencias, vivencias.



Red Bandana
Karen Cesar
http://www.redbandana.com.br/

Karen falou sobre o design como ferramenta estratégica no PDV.
Para ela, a venda e as decisões de compra hoje começam fora da loja através da web, do buzz e da midia.

Levantou ainda alguns pontos importantes com relação a estratégias de branding como:
• brand awareness – mídia convencional
• brand experience – ação no ponto de venda
• brand recall – web 2.0, redes sociais
• brand relationship - relacionamento
• brand multiplication – endomarketing: marketing interno na empresa, visão dos funcionários com relação à marca da empresa.

Karen citou também alguns recursos tecnológicos que auxiliam a mensurar e a otimizar campanhas como o sistema de reconhecimento de faces, que identifica a face, gênero, faixa etária da pessoa que olha para uma determinada comunicação exposta em um display digital; o bluetooth, o auto atendimento (falando sobre o case da rede de fast-food Baggers).



Live Ad
Mauro Silva - @maurosilva
http://www.livead.com.br/

Esta foi outra das mais interessantes.
Mauro falou sobre design da informação e como pensar idéias de maneira orgânica em relação às midias sociais, tv, radio, impressos, transmedia, apps & games, PR e DPR.

Citou um case fantástico da empresa: Mil Casmurros, projeto cujo objetivo, além de promover a série Capitu para a TV Globo, buscou estimular o interesse à leitura da obra de Machado de Assis e de outras obras da literatura como um todo.
Neste case digital, as pessoas participavam enviando vídeos com suas leituras de trechos da obra Dom Casmurro, de maneira a formar uma linha áudiovisual com a leitura da obra literária.
O resultado gerou ainda a possibilidade de ampliar a experiência para deficientes visuais.

Mauro falou ainda sobre a metodologia de divulgação utilizando-se da pirâmide:
Usuários Alfa > Usuários Beta (muitos contatos, quem fala e sabe a respeito de um assunto e passa para muitas outras pessoas) > Mainstream (pessoas em geral, sem o conhecimento especifico)

Citou o histórico da queda da importância da publicidade como meio de comunicação empresa > consumidor. Consumidores mais perspicazes construíram uma blindagem contra mensagens publicitárias tradicionais.

Segundo Mauro, avaliamos cada vez mais as marcas com base nas questões:
• é confiavel?
• é engajada com algo?
• Se relaciona com quem?
• Ensina? Traz algo novo?
• Lidera?

Para ele, o cenário digital atual baseia-se na informação rápida e nos relacionamentos gerados pelas redes sociais e, desta forma, é importante que as empresas se utilizem destes caminhos para interagir e se relacionar com seus consumidores. Deste ponto de vista, o Google, da forma q é hoje, não atende a essa busca por uma informação mais instantânea, defende o designer.



Ana Couto Design & Branding
Ana Couto
http://www.anacouto.com.br/

Ana Couto apresentou alguns aspectos do cenário atual das marcas, considerando alguns pontos importantes como:
- o pensar coletivo;
- atitudes que fazem diferença;
- o crescer sustentável;
- liderança;
- respeito;
- consumo responsável;
- significado (sair do simples status);

Ana defende o branding com virtude e afirma que as marcas podem e devem passar valores.

segunda-feira, outubro 26, 2009

Uma voltinha noturna pelas ruas de São Paulo

Atualizado! Vide: http://dougleonardo.blogspot.com/2009/12/freedom-fighter-videoclip-experimental.html

segunda-feira, setembro 28, 2009

O design da campanha de Barack Obama

Este é um vídeo que você designer de programação/comunicação visual TEM que ver.

O video é a apresentação de Scott Thomas, diretor de design da campanha presidencial de Barack Obama, na conferência 99%, anualmente realizada pela Behance.

No video, este brilhante profissional expõe o processo de criação e desenvolvimento de uma campanha histórica, tanto pelo aspecto político como projetual.



Um livro contendo todo este processo criativo já está em fase final de produção e irá se chamar "Designing Obama". Está disponível para pré-venda em: http://www.designing-obama.com/.

Para quem quiser conhecer mais o trabalho do designer, o site dele é o http://www.simplescott.com/

A Conferência 99% reúne alguns dos mais brilhantes profissionais de criação para apresentações que se resumem em uma ótima frase: "It's not about ideas. It's about making ideas happen."

Me inspirou muito! Espero que faça o mesmo com você!

quarta-feira, setembro 16, 2009

Pulp Fiction em História em Quadrinhos

Este é um post comemorativo, afinal é a 50ª. vez que publico algo por aqui! Uhul!! :P

Vou compartilhar com vocês uma releitura em quadrinhos de uma cena do filme Pulp Fiction, que fiz para a faculdade ano passado. Aí vai a vista geral do trampinho:

Pulp Fiction em história em quadrinhos

A cena que escolhi foi aquela em que Vincent (John Travolta) e Jules (Samuel L. Jackson) chegam em um apê para acertar contas com um cara que parece ter passado a perna no poderoso Marcellus Wallace (actually, he tried to fuck him... hehe).

Ok, aí vai a cena pra quem não assistiu ou não lembra (mais ou menos a partir de 4:00):



As quatro páginas do trabalho foram feitas originalmente em formato A3 P/B com nanquim.
A finalização foi feita no Photoshop e entregue em formato A4.

Se quiser, da uma olhadinha nos detalhes lá no meu Flickr. Lá tem ambas versões (P/B e color) em tamanho maior. ;)

Espero que tenham curtido!
Abraços!

sábado, setembro 12, 2009

"Face-lift" na identidade visual do Carrefour

Pouco depois do anúncio e veiculação da nova identidade visual do Pão de Açúcar, agora é a vez do Carrefour apresentar sua (tímida) modernização de marca.

Não, desta vez não tem glows e demais efeitinhos web 2.0 que muita gente tanto odeia. Desta vez a mudança é realmente bem sutil.

Comparando as marcas:

Nova marca Carrefour

A marca em si sofreu mudanças realmente leves. É possível notar pequenas diferenças nas curvas que formam a letra "C", contra-forma do fundo vermelho e azul. Acho que não é mais novidade para ninguém que a marca é composta por uma letra "C" vazada, ao centro, certo?
Além disso, reparem que as cores estão mais saturadas e vivas.

De fato, nítida mesmo é a nova tipografia escolhida, que agora acompanha exatamente o desenho da letra "C" que compõe a marca, o que, na minha opinião, é bem interessante e permite uma maior harmonia entre "logo" e "tipo". Veja a diferença tipográfica:

Nova marca Carrefour

Bom, agora vem a parte polêmica. Claro, sem ela não tem graça! :)

A nova marca acompanha novas aplicações para o sistema de identidade, utilizando-a em variações cromáticas com aplicação de gradientes:

Nova marca Carrefour

Nova marca Carrefour

Uma escolha não muito feliz que acaba de certa forma descaracterizando um excelente conceito - sempre achei genial o desenho desta marca.

E você, o que achou?

A historinha da marca Carrefour, para quem não conhece:
O nome "Carrefour" (pronuncia-se carfúr) é de origem francesa, de onde se origina também a empresa, e significa "cruzamento". Por que? Bom, porque diz a lenda que a primeira loja da rede situava-se em um cruzamento. Daí vem a saca genial: a letra "C" vazada ao centro da forma vermelha e azul (cores da bandeira francesa) trabalha como contra-forma de maneira que para muitos, até hoje, a letrinha passe desapercebida, formando as duas setas para a esquerda e para a direita, ainda em referência ao cruzamento. Bacana né?

quinta-feira, setembro 10, 2009

O mundo de papel


SCRIBE MUNDO DE PAPEL from ladies on Vimeo.

Campanha Feita pela BBDO/México em apenas 2 semanas usando Nuke, After effects, 3dmax, Photoshop.
Sensacional! :)

terça-feira, setembro 08, 2009

Cartazes do Festival Internacional da Gastronomia - a Restaurant Week - de Sydney

Como você deve estar sabendo, estamos na semana internacional da gastronomia - a Restaurant Week - aqui em São Paulo.

A "restaurant week" é um dos eventos mais importantes da gastronomia mundial. Nela, mais de 200 bons restaurantes da cidade participam oferecendo pratos da casa a preços fixos mais acessíveis. Além de ser uma excelente forma de acesso à boa gastronomia, o evento contribui para arrecadar doações para instituições filantrópicas.

Bom, da pra saber mais no site do evento: http://www.restaurantweek.com.br/. Aliás, ainda está em tempo de dar uma passada em um dos restaurantes da cidade.

Mas isto tudo foi apenas uma introdução para apresentar a ótima ideia da agência WHYBIN/TBWA, contratada para criar peças de comunicação para promover a semana gastronômica lá em Sydney, na Austrália. Veja os cartazes:

























O mais interessante é que a agência teve o cuidado de selecionar ingredientes que são tipicamente utilizados nos países para representar suas bandeiras.

quinta-feira, agosto 20, 2009

Vídeo de Paris com efeito tilt-shift



Toy Soldiers from Alta Media Productions on Vimeo.

Muito show. Curto muito esse efeito de miniatura na fotografia, mas ainda não tinha visto um vídeo assim.

Para quem não sabe o que é Tilt Shift, aí vai uma explicação da Wikipedia:
"Estilo de fotografia conhecida como “tilt and shift” ou simplesmente tilt-shift que produz fotografias de objetos e cenários reais mas que ficam parecidos com miniaturas e maquetes. A primeira lente desenvolvida especialmente para produzir este efeito foi a Canon TS35mm f/2.8 S.S.C em 1973."

segunda-feira, agosto 17, 2009

Batera insano tocando temas do Super Mario



Pros meus amigos bateras (e também pros fãs de games)...
O nome do figura é Andrea Vadrucci. Demais!

Vi no Blog do Tas.

segunda-feira, agosto 10, 2009

21 Alfabetos fotográficos criativos

Uma coleção de alfabetos muito criativos produzidos a partir de fotos!

1. Eatphabet: o alfabeto comestível





O Eatphabet foi criado por Luiza P.. Sua idéia foi demonstrar seus bons hábitos alimentares através das fotografias.


2. Alfabeto no Google Earth



De outubro de 2008 a abril de 2009. Este foi o tempo que o designer Rhett Dashwood levou para produzir o alfabeto baseado nas fotos de satélite do Google Earth. Bom, calma... na verdade Rhett foi procurando aos poucos em seu tempo livre entre um projeto e outro e tal... mas mesmo assim, haja paciência né... muito bacana!


3. O alfabeto nu






Anton Beeke é o nome do designer responsável pela criação.


4. Body Type - O Alfabeto nu de AllStar vermelho!



Este alfabeto foi desenvolvido pelos estúdios de design Smart Head e Red Keds. No site do Body Type é possível digitar um texto e ver como ele fica com a "família pelada de Allstar"! :)


5. Tipografia à flor da pele



Essa dá muita aflição!
Crédito: http://www.ignant.de/2009/05/15/skinographie/


6. Em tempos de Lei Anti-fumo em São Paulo... Alfabeto com bitucas de cigarro*








7. Alfabeto verde*






8. Hairvetica: a Helvetica feita de pentelhos! :) *






9. Narcissus Type *






10. Previna-se! Alfabeto com camisinhas *






11. Sujeira *






12. Alfabeto verde II *






13. Alfabeto com chá *






14. Alfabeto hipocondríaco *






15. Tipos com maçãs assadas *






16. "Se for escrever não beba" :) *






17. Alfabeto com cactos *






18. Alfabeto com clipes *






19. Heldentica: alfabeto com pasta de dente




20. Alfabeto com laser!




21. Alfabeto com clipes II



Quer conhecer a origem dos alfabetos fantasia na história do design gráfico? Acesse o Projeto HDG.

* Crédito: Vladimir Koncar


Fonte:
- www.likecool.com
- www.todayandtomorrow.net
- http://hautenature.blogspot.com
- http://imgfave.com/view/76362
- http://www.beautifullife.info
 

.Drafts: Blog do designer Doug Leonardo.

Visite: www.dougleonardo.com | Twitter.com/dougleonardo

Layout originalmente criado por Douglas Bowman e personalizado por Doug Leonardo.

BlogBlogs.Com.Br